Educação

Convocação de agentes de saúde e professores, Projeto Time de Alfabetizadores, construção de creches e escolas

  • Convocação de 300 agentes de apoio à educação especial
    Os profissionais são os concursados do ano de 2014. Com isso, o número do efetivo na rede passou de 150 para 300, atendendo a 14 mil alunos com deficiência.
  • Convocação de 825 professores
    Estes profissionais, aprovados em concursos desde 2012, também foram chamados. Deste grupo, 177 irão atuar na Educação Infantil e 648 no Ensino Fundamental.
  • Projeto Time de Alfabetizadores
    O time de 2.500 alfabetizadores que entra em ação no início de 2018 pretende fechar a torneira do analfabetismo funcional na rede de escolas da Prefeitura. A alfabetização no tempo certo será a grande tarefa desse time, que contará com apoio de supervisores, psicólogos e assistentes sociais, no contexto de um projeto grande e complexo, articulado com a última fase da pré-escola, de acordo com o secretário municipal de Educação, César Benjamin. A partir de 2018, esse time vai trabalhar para que algo próximo a 100% das crianças que estejam nas escolas públicas dominem a leitura, a escrita e o manejo dos números até o final do segundo ano. A deficiência nesses conhecimentos básicos gera grande parte dos problemas pedagógicos que encontramos ao longo dos nove anos do ensino fundamental, num processo cumulativo.
  • Contrato com o Grupo Banco Mundial para construção de creches e escolas
    O prefeito Marcelo Crivella assinou contrato com o Grupo Banco Mundial, por meio da Corporação Financeira Internacional (IFC – International Finance Corporation), para a consolidação de estudos para a construção de 35 mil vagas em creches e 15 mil na Educação Infantil na rede municipal do Rio. Com o acordo, será possível zerar o déficit de vagas neste segmento até 2020. Responsável pelo projeto, a Subsecretaria de Projetos Estratégicos, órgão vinculado ao Gabinete do prefeito, já identificou e analisou 700 terrenos georreferenciados com essa finalidade.
  • Orquestra na Escolas
    Com a meta de formação de 80 mil instrumentistas até 2020, o programa Orquestra nas Escolas prevê que até o fim do ano 11 mil alunos sejam beneficiados com aulas de iniciação musical, música instrumental, prática de orquestra e coro. Os estudantes podem escolher os instrumentos de sua preferência entre viola, violino, contra baixo acústico, flauta doce, trompete, trombone, clarinete, percussão, além de canto coral. 
  • Mais refeições
    As escolas municipais do Rio atingiram a marca de um milhão de refeições servidas todos os dias.