Cultura

Grupo de trabalho, políticas de valorização da rede de equipamentos culturais, Rio Mais Fácil Audio Visual e mais.

  • Por um Museu sobre a Verdade
    Criado em maio deste ano, a instituição, vinculada à Secretaria Municipal de Cultura, tem sua sede administrativa no Centro Cultural Municipal José Bonifácio, na Gamboa. A Secretaria vem trabalhando para a instalação do Museu na região do Cais do Valongo, zona portuária da cidade. O Cais do Valongo foi declarado patrimônio histórico da humanidade pela Unesco, em julho deste ano, graças à participação decisiva da Prefeitura junto àquela instituição.

    Baseado no conceito de museu de território e experiencial, a instituição já apresenta resultados relevantes. Trata-se de um museu que está sendo erguido coletivamente por vozes que têm sido ouvidas em seminários, encontros e oficinas participativas realizadas de forma regular. Não se trata apenas de um museu para guarda e exposição de acervo, mas de um centro de referências que tem como missão atuar na redução da desigualdade social no país. 
  •  Cidade das Artes
    O processo de ressignificação da Cidade das Artes é sucesso absoluto de público e de crítica. Mais de 200 mil pessoas passaram pelas diversas oficinas, eventos e espetáculos de teatro e dança oferecidos pelo equipamento. Atrair novos públicos foi o lema. Diversificar a programação foi a ação.
  • Crescimento de Público
    Mesmo em cenário de austeridade, a Prefeitura registrou um significativo crescimento de público nos equipamentos municipais. Até outubro, mais de 6,35 milhões de espectadores passaram pelos espaços culturais da Secretaria, público 3,2% maior do que no mesmo período de 2016.
  • Reabertura do Teatro Maria Clara Machado
    Em agosto, o Teatro Municipal Maria Clara Machado, que estava fechado desde setembro de 2016, reabriu com três montagens semanais, em dois horários noturnos e um para montagens infantis em sua programação.
  • Nova reserva técnica do Museu de Arte do Rio
    O Museu de Arte do Rio – MAR, sob a gestão do Instituto Odeon, inaugurou em 25 de março de 2017 sua nova reserva técnica, com a primeira coleção de arte concebida para o município do Rio de Janeiro. O novo espaço, que contou com o patrocínio do BNDES para as obras de expansão, apresenta ao público uma área visitável. Um cubo de vidro permite que os visitantes confiram o que acontece lá dentro.
  • Reposicionamento da RioFilme
    A RioFilme tem trabalhado como uma grande distribuidora, demanda relevante para o segmento de audiovisual. Desde 2009 sem atuar com este foco, em 2017 a empresa voltou ao mercado distribuidor. A instituição, que acaba de completar 25 anos, tem também atuado na formação de plateias, por meio do apoio à realização de cineclubes, como o Microcine Bonsucesso, única opção de exibição de filmes da região, inclusive dos bairros vizinhos (Olaria, Ramos, Higienópolis e Manguinhos). Outra dessas ações é a parceria com o Cineduc, que oferece cursos sobre Cinema Documental, História do Cinema Brasileiro, Cenário e Figurino de Grandes Musicais, e Cinema e Educação.
  • Cultura nas Ruas
    Não é só dentro dos espaços da Prefeitura que as atividades acontecem. Das ruas e praças também brota a produção cultural de nossa cidade. A Secretaria Municipal de Cultura tem incentivado eventos ao ar livre em diversas regiões da cidade, com resposta de público muito positiva. Entre os exemplos da importância das manifestações de rua da cidade estão as rodas de samba e rodas de rima. Em 17 de julho, foi publicado o Decreto 43.423, que dispensa as rodas de samba da apresentação do alvará transitório de eventos.
  •  30 Anos sem Drummond
    Os 30 anos de morte do escritor Carlos Drummond de Andrade foram lembrados em agosto com uma programação especial ao lado da estátua do poeta, na Avenida Atlântica, em Copacabana. A maratona de poesias contou com a presença de artistas e fãs de Drummond, que declamaram poemas e cantaram músicas inspiradas na obra do autor. Nomes como o poeta Geraldinho Carneiro, a bailarina Ana Botafogo e a atriz Bel Kutner prestaram homenagens ao escritor.
  • Ações de Identidade Cultural
    Ao longo do ano de 2017, foram realizadas ações de incentivo à valorização, preservação, resgate e salvaguarda do patrimônio imaterial na cidade do Rio de Janeiro. Entre as atividades de maior destaque está a salvaguarda do ofício das baianas do acarajé, por meio da elaboração e execução de projeto piloto em escolas da região da Maré.
  • Outubro da Diversidade
    Atividades culturais dedicadas à diversidade sexual, de gênero e à inclusão. Esta foi a tônica do mês de outubro, que levou para os equipamentos da rede municipal do Rio mais de quinze espetáculos ligados a temas que discutiram questões relacionadas à sexualidade, identidade de gênero, saúde mental e pessoas com necessidades especiais.

    Os principais palcos da cidade receberam peças premiadas com temática LGTBQIA, como BR-Trans, encenada por Silvero Pereira no Teatro Municipal Maria Clara Machado. Destaque também para O Reizinho Mandão, peça infantil protagonizada por atores com síndrome de Down. O elenco brilhou na adaptação do clássico escrito por Ruth Rocha, lotando o Teatro Municipal Carlos Gomes e percorrendo lonas e arenas da cidade, nas zonas Norte e Oeste.
  • Mês da Consciência Negra
    Novembro foi totalmente dedicado a atividades culturais e artísticas voltadas à cultura negra, em diversos equipamentos da Prefeitura e espaços públicos por toda a cidade. Dança, teatro, música, debates e filmes fizeram parte da programação, que incluiu 33 projetos realizados em todas as regiões da cidade, selecionados por meio do edital de convocatória para Matriz Africana.
  • Terreirão do Samba
    Uma programação que prioriza a valorização do samba autêntico. Foi com esta visão que um dos principais equipamentos culturais da região da tradicional Praça Onze reabriu as portas ao público. A temporada de grandes shows no Terreirão do Samba - equipamento que passou a ser gerido, neste governo, pela Secretaria Municipal de Cultura – teve início em 5 de novembro, tendo como principal atração o cantor Jorge Aragão. No Dia Nacional do Samba, o espaço lotou para sambar com Leci Brandão. 
  • Lei de Incentivo e Prêmios
    Dividir para multiplicar. Com este pensamento foi implementada, ao longo desse primeiro ano de gestão, a política de diversificação do aporte de recursos às atividades culturais. O processo de escuta permanente tem contribuído para tornar mais cada vez mais democrático o incentivo à produção artística e educativa na cena carioca.
  • Criação de um Fundo de Financiamento da Cultura
    A Secretaria Municipal de Cultura tem empreendido esforços no intuito de criar um projeto de lei de financiamento da cultura carioca. Com a criação de um fundo para a cultura, o objetivo é garantir financiamentos para produções culturais da cidade. As negociações junto à Câmara de Vereadores estão em andamento e projeta-se que em 2018 a nova Lei esteja em vigor, resultando em um maior aporte de recursos para a pasta e também maior autonomia quanto à administração de verbas para a cultura da cidade.
  • Impactos dos Editais
    Os editais são responsáveis pelo incentivo à diversidade de manifestações e linguagens artísticas e culturais espalhadas por toda a cidade do Rio de Janeiro. Cada oficineiro, palestrante, professor, produtor cultural, monitor, gestor ou estudante que participa das atividades promovidas pelos editais da SMC relaciona-se, de forma transversal, com a cultura e estabelece um pacto identitário com a sua comunidade. Essas ações fortalecem o sentimento de pertencimento desses agentes em relação à comunidade e ao próprio território em que vivem.
  • Conexão ISS
    A Secretaria Municipal de Cultura realizou em novembro um grande encontro com empresas (Contribuintes Incentivadores habilitados), com o objetivo de apresentar um panorama dos hábitos culturais dos cariocas e mostrar aos patrocinadores dos principais projetos culturais o planejamento estratégico da pasta voltado para o fortalecimento da política cultural da cidade. 
  • Reformulação do Museu do Universo do Planetário da Gávea
    Em novembro, o Museu do Universo do Planetário da Gávea foi reapresentado aos cariocas. Com recursos interativos, a nova exposição permite ao público uma nova experiência, por meio de dispositivos digitais touchscreen e de novos aplicativos, desenvolvidos especialmente para o projeto.
  • Orquestra nas Escolas
    Idealizado pela Secretaria Municipal de Educação, teve início em 2017 o projeto Orquestra nas Escolas, que conta com a parceria da Secretaria Municipal de Cultura.  Os pequenos músicos recebem aulas regulares de música e se apresentam em diversos espaços por toda a cidade. O primeiro concerto, realizado em novembro na Cidade das Artes, levou ao palco 1.200 alunos. 
  • Paixão de Ler
    A 25ª edição da campanha Paixão de Ler 2017 foi aberta oficialmente no dia 5 dezembro, no Centro Coreográfico do Rio, na Tijuca. O tema de 2017 foi “Leitura + Diversidade”. Durante cinco dias, equipamentos culturais e educativos da cidade receberam mais de 100 atrações gratuitas. Foram realizados debates, oficinas, saraus, rodas leitura, apresentações artístico-literárias, contação de histórias e encontros com autores e ilustradores.